terça-feira, 26 de abril de 2011

CEI Indireto Jardim Ângela comunidade usufruindo como playground noturno.


A CEI Jardim Ângela a poucas horas de ser inaugurada esta servindo para a Comunidade local como Playground Noturno, como a comunidade é muito carente de equipamentos públicos as crianças ao entorno da CEI INDIRETO JARDIM ANGELA EM SAPOPEMBA ZONA LESTE DE SÃO PAULO há estão usando para se divertirem durante a noite.

A meu ver nada de mais , pois é melhor eles brincando e utilizando o espaço publico do que a destruindo , cabe agora saber se esse espaço após a sua inauguração será aberto para a comunidade ou a direção responsável ira tomar outra atitude.

Grupos de Teatros Amadores de Escolas Estaduais agora terão direito a ajuda financeira!!!!!


PROJETO DE LEI
Projeto propõe recursos do Estado para teatro amador escolar.

Projeto de lei de autoria do Deputado Estadual João Antonio (PT)de São Paulo prevê a criação de um programa de incentivo financeiro a grupos de teatro Amador em funcionamento nas escolas da rede estadual de ensino de São Paulo.

Batizada de “Pró-Teatro”, a iniciativa autoriza a Secretaria de Estado da Educação a definir um percentual dos seus recursos orçamentários que seriam destinados a grupos teatrais escolares - como forma de apoio pedagógico e ampliação do acesso a bens culturais na rede de ensino.

A proposta é que esses recursos sejam depositados na conta da Associação de Pais e Mestres de cada escola onde seja comprovada a atuação de pelo menos um grupo teatral amador.

Com o dinheiro seria possível facilitar a compra de figurinos, montagem de espetáculos e viagens de curta distância desses grupos – além de possibilitar a apresentação de peças em festivais estaduais de teatro, dentre outros eventos afins.

A atividade teatral como suporte pedagógico é comprovada em todo o mundo, uma vez que os exercícios de palco, voz e educação para o teatro melhoram o desempenho nas demais disciplinas, de acordo com especialistas em Educação renomados.

Mais detalhes sobre este projeto, contato com a Assessoria de Imprensa do Gabinete do deputado estadual João Antonio

DJAIR GALVÃO FREIRE

Assessor de Imprensa

(11) 3887-6342 – (11) 8440-6001

http://www.joaoantoniopt.blogspot.com/

E-mail: djairgalvao@gmail.com - gabjoaoantonio@gmail.com

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO

"Kassab" Pontos de Ônibus em São Paulo Totalmente Abandonados, O que você pensa sobre isso ?


Para quem depende do transporte coletivo, ele é companhia indispensável para quem pega ônibus todos os dias: os abrigos dos pontos de ônibus.

Só sete mil paradas de ônibus, de um total de 19 mil, têm cobertura na cidade de São Paulo, excluindo aquelas localizadas nos corredores exclusivos de ônibus, que possuem cobertura e bancos.

Com isso o paulistano que depende de transporte coletivo está sujeito à chuva ou ao sol forte em 63% dos pontos.

Além da falta de proteção, o passageiro também enfrenta o estado precário dos abrigos.

Os principais problemas encontrados nos pontos são a chuva e o sol forte sem contar com a lotação e muitas vezes o mau humor de motoristas e cobradores cobertura danificada, pichação, lixo, falta de bancos e sujeira.

”A Prefeitura do então Prefeito Kassab deixou de zelar pelo Patrimônio Público, descaso com os pontos de ônibus é latente, em toda a cidade”

O promotor do Ministério Público (MP) estadual, Saad Mazloum, diz que a situação dos pontos da Capital deixa muito a desejar.

“De modo geral, o sistema de transporte coletivo na cidade está mal administrado, muito aquém do desejado”, afirma Saad, que desde 2008 está à frente das investigações do MP que apuram as condições do serviço de transporte público oferecidas na Capital e mantém um site (www.onibus.blog.br) para receber reclamações sobre o descaso do transporte publico.

A Reportagem do Cobra Notícias percorreu vários Pontos de Ônibus de Sapopemba nesta manhã de Quarta Feira dia 26/04/2011 e ouviu dezenas de reclamações.

No Ponto de Ônibus que fica em Frente ao Terminal Sapopemba as placas de acrílico que cobrem a cobertura do ponto esta toda quebrada e o ponto totalmente imundo isso sem falar da falta bancos para os passageiros esperarem o ônibus, um verdadeiro absurdo.

“É complicado pegar ônibus aqui no período da tarde”, afirma a Telefonista Maria da Graça,48 anos,o sol forte castiga os que esperam o ônibus aqui.

Ela estava em companhia da Dona de casa Antônia de Moraes , 38 anos, que carregava nos braços a filha, Amanda,1 ano e quatro meses.

“Está chovendo. Ela (Amanda) esta toda molhada.

Para quem utiliza do Transporte Público para ir à faculdade, trabalho ou visitar alguém e de repente percebe que está prestes a chover, ou está um dia lindo e ensolarado com um sol de rachar, logo procura por um ponto de ônibus coberto.

Localizado na Avenida Sapopemba na altura nº 10232 um Ponto de Ônibus está em situação lamentável e catastrófica, o local tem seus bancos quebrados e está com as placas de acrílico todas quebradas, com os galhos de arvores que ficam do lado do ponto entrando para dentro do ponto.

Nesse ponto encontramos o Sr. Marcelo Almeida um passageiro que aguardava pelo ônibus tentando se proteger em baixo da “cobertura" de uma forte garoa que estava caindo naquele momento,”“ É péssimo ficar num ponto com a cobertura quebrada e se molhando,é péssimo!Disse ele.

Infelizmente a EMTU e a SPTRANS não adotam medidas para que os passageiros sejam bem atendidos pelas empresas concessionárias de ônibus, pois Pontos sem coberturas, ou sujos, pequenos, quebrados, sem bancos, são principais reclamações dos passageiros, a não se dizer das Superlotações, descumprimentos de horários, entre outras reclamações que os órgãos de Fiscalizações e Planejamentos não resolvem, em favor dos passageiros, e sim das empresas de ônibus...

Isso sem falar nos ponto que nem ao menos tem cobertura, mais isso fica para uma próxima matéria.

COMENTÁRIO BLOG COBRA NOTÍCIAS: HÀ UM ANO O BLOG COBRA NOTÍCIAS JÁ CHAMAVA A ATENÇÃO PARA O DESCASO COM OS ABRIGOS DE ONIBÚS EM SÃO PAULO E O BLOG TAMBÉM JÁ TINHA FEITO UMA MATÉRIA SOBRE UM ABRIGO DE ONIBÚS AQUI EM SAPOPEMBA QUE TEM UM CANO DE ESGOTO QUE JOGA ÁGUA SUJA BEM NO MEIO DO PONTO, POIS BEM DE UM ANO PARA CÁ NADA MUDOU, OU SEJA, SÓ PIOROU.

JÁ ESTA NA HORA DA POPULAÇÃO DAR UM BASTA COM ESSE DESCASO DO PREFEITO KASSAB EM RELAÇÃO AO TRANSPORTE PÚBLICO EM NOSSA CIDADE.

HÁ UM DETALHE MUITO IMPORTANTE QUE EU ME ESQUECI DE MENCIONAR A PASSAGEM DE ONIBÚS COM O AUMENTO FOI PARA 3,00 REAIS.

domingo, 24 de abril de 2011

Visite a Estação Vila Prudente do Metrô e ganhe um tombo !!!

É preciso ter habilidade de surfista para andar e não cair na rampa de acesso da Estação do Metrô Vila Prudente, na Zona Leste, principalmente quando chove.

Na entrada pela Avenida Professor Luis Inácio de Anhaia Melo, o piso fica escorregadio, igual sabão, e muitos usuários reclamam de quedas e outros acidentes provocados.

O auxiliar de enfermagem Diego Bruno Gonçalves, de 23 anos, utiliza todos os dias a estação.

Ele mora em Santo Amaro, na Zona Sul, e trabalha na Vila Prudente.

"Quando garoa ou chove fica muito perigoso.

Eu já escorreguei diversas vezes e também presenciei alguns usuários caírem.

O Metrô precisa trocar o piso para ficar mais aderente", afirmou o auxiliar de enfermagem.

"Eu também já vi várias pessoas indo reclamar, furiosas, com os funcionários do Metrô.

Após a queda, o nervosismo fica grande", contou Gonçalves.

A opinião é compartilhada pelo cobrador de ônibus Domingos de Andrade, de 55 anos.

Devido a problemas de articulação, ele possui a mobilidade reduzida e é obrigado a andar devagar.

"Quando chove, preciso me apoiar nos corrimãos para não cair.

Às vezes, quando estou sozinho, peço para outras pessoas me ajudarem.

Tenho medo de fraturar algum osso se cair", afirmou o cobrador.

A operadora de telemarketing Marisa Gonçalves de Jesus, de 28 anos, relata que não vai mais trabalhar de sapato com sola lisa para não correr mais riscos.

"No mês passado, eu escorreguei e quase cai.

Consegui apoiar os braços em uma amiga que me acompanhava naquele dia.

Não sei por que colocaram esse tipo de piso", queixou-se a operaadora de telemarketing.

Troca prometida

Após o recebimento de diversas reclamações, o Metrô informou ao DIÁRIO que o piso será trocado.

A companhia informou que, após realizar vistoria técnica na estação, juntamente com o fabricante do piso, decidiu pela substituição do material implantado tanto na rampa quando em uma escada.

O Metrô disse que será colocado um piso de porcelanato de textura ranhurada e quadriculada, que proporciona maior nível de aderência.

O processo encontra-se em fase de produção das peças para posterior instalação.

A companhia informou que o piso instalado atualmente é também porcelanato (linha ARQTEC No Slip Antiderrapante), recomendado para uso em áreas externas e internas, em substituição ao granito que é inadequado quanto ao aspecto da sustentabilidade.

O Metrô alega que a especificação do porcelanato foi precedida de testes e pesquisa quanto aos requisitos durabilidade, resistência, impermeabilidade, facilidade de limpeza, conservação e resistência ao escorregamento, conforme orientam as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para pisos de uso em áreas de grande circulação.Fonte jornal Diário de São Paulo.

COMENTÁRIO BLOG COBRA NOTÍCIAS: É impressionante a incompetência dos governos Tucanos, demorar uma eternidade para inaugurar essa estação e entregá-la para o usuário com o risco de até mesmo matar uma pessoa que cair de mau jeito e bater a cabeça.

Agora vem com essa desculpinha técnica que o metrô fez estudos com o piso, para mim isso só tem um nome INCOMPETÊNCIA ou eu estou errado.

Detalhe o Jornal folha de Vila Prudente em edição anterior de suas tiragens já trazia a denuncia e até agora o metrô ainda não conseguiu resolver esse problema, pelo jeito esta esperando alguém se machucar mais forte ou até mesmo perder a vida para eles tomarem uma solução rápida.

Porque ao invés de ter colocado outro piso já certo vai fazer estudo com a população de vila prudente, como diria aquele apresentador é BRINCADEIRA , ME AJUDA AI PÔ.

Redução da Maioridade Penal, O que você pensa sobre isso ?

Sacolas Plásticas o meio ambiente clama por uma solução, O que você pensa sobre isso?


Sacolas Plásticas X Meio Ambiente

As sacolas plásticas ou saquinhos de supermercado são uma "praga" moderna que deve ser aos poucos abandonada por todos nós.

Saiba mais sobre seus malefícios e como eliminá-la de sua vida.

A maioria das invenções estão diretamente relacionadas com nosso conforto e praticidade, porém muitas delas são colocadas no mercado sem nenhuma pesquisa mais profunda de seu impacto, principalmente ambiental.

A regra é o lucro imediato.

Este é o caso das sacolas plásticas ou "saquinhos de supermercado".

Que nos últimos tempos ela virou uma "praga" ninguém pode negar.

Uma praga digo no sentido de que qualquer coisa que compramos, até mesmo uma cartela com 4 comprimidos, é embalada nela.

Origem

Sua invenção data de 1862 e foi uma revolução para o comércio por sua praticidade e por ser barata.

Apesar de antiga a invenção veio explodir no Brasil a partir da década de 80, contribuindo para a filosofia do "tudo descartável".

Mas agora sabemos (e os Europeus já sabem há um bom tempo) que elas são um dos grandes vilões do meio ambiente e apenas agora nos demos conta disto, bem como várias outras coisas que antes utilizávamos sem nenhum peso na consciência.

Motivos de sobra para abandoná-la

Mas porque ele é assim tão prejudicial para o meio ambiente? Bem, em primeiro lugar o saquinho plástico é um derivado do petróleo, substância não renovável, feita de uma resina chamada polietileno de baixa densidade (PEBD) e sua degradação no ambiente pode levar séculos, ou seja, seu tataraneto pode no futuro se deparar com o saquinho que você jogou fora hoje.

No Brasil aproximadamente 9,7% de todo o lixo é composto por saquinhos plásticos, além disso a produção do plástico é ambientalmente nociva.

Para produzir uma toneada de plástico são necessários 1.140 kw/hora (esta energia daria para manter aproximadamente 7600 residências iluminadas com lâmpadas econômicas por 1 hora), sem contar a água utilizada no processo e os degetos resultantes.

Há um outro grande problema: a poluição dos mares por este tipo de lixo.

Saquinhos plásticos no mar são confundidos por peixes e, principalmente, pelas tartarugas marinhas como águas vivas, um de seus alimentos.

Assim ao ingerir o saquinhos as tartarugas morrem por obstrução do aparelho digestivo.

Se você tiver oportunidade de um dia visitar o Projeto Tamar, verá que lá estão expostos vários cadáveres de tartarugas que morreram desta forma.

Os saquinhos também são uma das causas do entupimento da passagem de água em bueiros e córregos, contribuindo para as inundações e retenção de mais lixo.

Quando incinerado libera toxinas perigosas para a saúde.

O que fazer então?

A grande idéia é aos poucos substituirmos as sacolas plásticas descartáveis, ou por sacolas realmente biodegradáveis (pesquisas estão sendo feitas no Brasil para a produção de plásticos a partir da cana de açúcar e milho) ou por sacolas não descartáveis.

Lembra daquelas antigas sacolas de feira? Isto mesmo, elas aos poucos estão voltando e com força total.

Nós aqui do Ser Melhor já temos a nossa!

Seguem algumas dicas de como começar a diminuir o uso das sacolas descartáveis:

Comece a levar uma sacola própria para fazer as compras, seja no supermercado, na venda, quitanda ou feira.

Não importa que nela não caibam todas as suas compras, pelo menos uma parte delas vai para a sua casa sem utilizar o saquinhos;

As famosas "sacolas de feira" são uma grande dica, seja ela de plástico resistente, seja de pano;

Se a quantidade de compras seja muito grande, peça no supermercado caixas de papelão para transportar as compras. Algumas redes de supermercados já oferecem esta opção;

Caso seu supermercado utilize sacolas biodegradáveis, de preferência para estas;

Cuidado com as sacolas Oxibiodegradáveis.

Apesar delas se "desfazerem" no ambiente, diferentemente de uma sacola biodegradável, que é consumida por microorganismos, a sacolas Oxidegradáveis se utilizam de componentes químicos nocivos para decompô-la, continuando a poluir o ambiente, apenas não serão visíveis aos nossos olhos.

De preferência pelos sacos de papel;

Verifique as datas de validade dos produtos. Você poderá estar levando um produto que irá para o lixo.

Além do desperdício de dinheiro você terá utilizado um ou vários saquinhos a toa;


Repense suas compras.

Será que tudo que você está comprando será utilizado ou boa parte irá estragar e ir para o lixo? Você precisa mesmo do que está comprando ou foi a propaganda que lhe disse para comprar? Quanto menos compras, menos saquinhos serão utilizados.

Movimentações em torno do tema

Na Europa os costumes já começam a mudar.

Na Alemanha se você não levar sua própria sacola ao supermercado tem que pagar um preço salgado por cada saquinho que utiliza, além de outras medidas adotadas pelo governo.

A Irlanda segue o mesmo caminho e na Inglaterra redes de supermercados já oferecem saquinhos totalmente biodegradáveis.

No estado de São Paulo, o governo e entidades já estão se movimentando para reduzir o número de sacolas plásticas, incentivando com campanhas de esclarecimento a população, visando utilizar suas próprias sacolas para fazer as compras.

Mas sei que é difícil desvenciliar-se de um costume, de algo tão prático quanto as sacolinhas plásticas, porém temos que começar algum dia.


Que tal hoje!?

O que você pensa sobre isso?

Fonte:Maurício Waldman Dan Schneider, Guia ecológico doméstico, Editora Contexto.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Família Cobra em um dos seus poucos momentos de lazer e descontração.


Nesta Quinta Feira dia 21/04/2011,Feriadão a Família Cobra saiu um pouco da Toca dos Cobras para um dos seus poucos momentos de lazer e descontração .

Alguns membros da Família se reuniram para assistir a vitoria do Glorioso Palestra Itália frente a equipe do abc ( Santo André ) pelo Placar de Palmeiras 1 x 0 Santo André pela Copa do Brasil.

Os membros do clã do Cobra presentes nesse momento de lazer e descontração foram, Marcelo, Aline, Lucas ( Atentado ), Carlinhos Cobra, logicamente que todos os nomes citados levam o sobrenome Cobra.

Essa confraternização aconteceu no Bar e Chopperia Zangão no Bairro de São Caetano do Sul.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dia 9 de maio é o prazo para resposta dos Diretórios Municipais sobre os casos de Dupla filiação


A Justiça Eleitoral divulgou ontem (dia 19 de abril) a relações de filiados envolvidos em possíveis casos de dupla filiação.

A relação pode ser consultada através do FiliaWeb onde os filiados aparecerão com situação Sub-Judice na “relação oficial”.

Também serão enviadas notificações para os partidos e filiados envolvidos.

Por si só, a informação de dupla filiação não justifica a desfiliação.

Há muitas informações incorretas por parte dos outros partidos, o que muitas vezes pode prejudicar nossos filiados.

É preciso verificar se a filiação ao outro partido ocorreu antes ou depois da filiação ao PT e orientar o filiado a formalizar junto ao cartório eleitoral em qual partido deseja manter-se filiado.

Caso o filiado tenha uma filiação anterior à do PT, é preciso solicitar à documentação que comprova que ele pediu desfiliação.

Se a filiação for posterior à do PT, é preciso verificar se houve descuido, ou mesmo, má fé do outro partido.

Tomados estes cuidados, caso seja comprovada a ocorrência de dupla filiação, aí sim deverá ser feita a desfiliação no Sisfil, arquivando-se os comprovantes do fato.

Dia 9 de maio é último dia para apresentação de resposta dos filiados e partidos envolvidos.

A justiça decidirá sobre os casos que permanecerem sub-júdice até o dia 19 de maio.

Paulo Frateschi
Secretário Nacional de Organização
20/abril/2011

“Sapopemba” Travessa Jose Tavares da Silva finalmente fica pronta.


Depois de inúmeros ofícios para a Subprefeitura de Vila Prudente/Sapopemba ,reuniões com diversos Subprefeitos que entraram e saíram durante o tempo que ficou a luta para terminar a Travessa Jose Tavares da Silva , finalmente o sonho dos moradores da Rua Beltrão e da Rua Rio Hipiaugui e em geral das pessoas que usam essa travessa finalmente virou realidade.

Agora depois da Travessa Asfalta, Ilumina, e dada o nome, e com os Postes que coíbem a entrada de Carros, os moradores poderão dormir tranqüilos sem que sejam acordados com carros passando pelo local.

COMENTÁRIO BLOG COBRA NOTÍCIAS: Todas essas conquistas só foram possíveis graças ao grande empenho do Presidente da Associação Estrela do Bairro CAPOEIRA que tanto lutou para que essa travessa finalmente fica-se pronta e vale lembrar que um fator predominante para que isso acontece-se foi graças ao novo Subprefeito Roberto Alves que depois que assumiu a frente do comando da Subprefeitura de Vila Prudente/Sapopemba muitas coisas fáceis de se resolverem saíram do papel e tornaram-se realidades.

Como vocês novamente poderão comprovar nas fotos como essa travessa era antes e como ela encontra-se agora.

Após Procuradoria arquivar pedido de militares contra Novela do SBT Zé Dirceu dará seu depoimento hoje na Novela.


O Ministério Público Federal no Distrito Federal arquivou nesta Segunda-Feira dia 18/04/2011 pedido de uma Associação de militares para censurar a Novela do SBT "Amor e Revolução", que retrata a repressão a militantes de esquerda durante a ditadura (1964-1985).

Segundo a Procuradoria, não foram apresentados elementos mínimos para justificar a investigação.

Vai ao ar hoje, no encerramento do capítulo da novela "Amor e Revolução", do SBT, o depoimento gravado pelo ex-ministro José Dirceu sobre sua prisão pela ditadura, em 1969, e o período em que viveu exilado em Cuba e clandestino no Brasil.

Já gravaram para a trama de Tiago Santiago nomes como Criméia Almeida, ex-guerrilheira do Araguaia, e Rose Nogueira, que dividiu a cela no Dops com a presidente Dilma Rousseff.

A participação de Dirceu é menos dramática.

Ele faz uma distinção entre a época em que foi preso, quando a tortura ainda não era corrente, e o recrudescimento posterior.

"Quando chegamos ao Dops houve uma sessão de pancadaria, de chutes."

Ele narra que foram para o 4º RI, unidade do Exército em que Lamarca esteve preso, onde teria havido mais maus tratos.

"A comida era uma lavagem, a cela era pra ter pneumonia e tuberculose.

Percebemos que aquilo já era prenúncio do que estaria pra começar de tortura e da ditadura", diz Dirceu no vídeo, ao qual a Folha teve acesso.

Ele descreve as condições do congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes), que levou à prisão de cerca de 800 participantes, em 1969, como "precárias".

"Nós recebemos a informação de que o lugar estava cercado e decidimos não sair.

Fomos todos presos", conta Dirceu, que está inelegível após ser cassado pela Câmara, sob acusação de ter chefiado o mensalão.

Ele é réu na ação penal do STF (Supremo Tribunal Federal).

Seu depoimento, de uma hora, deve ser usado em outros capítulos.

A novela do SBT, que vai ao ar às 22h, estreou no último dia 5, com média de audiência de 7 pontos na Grande São Paulo.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Companheiro Luiz Gonzaga da Silva ”Gegê” uma verdadeira referencia contra a descriminalização dos movimentos sociais.


Reproduzo agora entrevista com o Companheiro Gegê após sua libertação no dia 05 de abril de 2011.

Entrevista com Gegê, do Movimento de Moradia

"Não vou descansar enquanto o Estado não for para o banco dos réus"

Patrícia Benvenuti
Da redação

O fim de um processo, mas não o fim de uma prisão. Para Luiz Gonzaga da Silva, o Gegê, não há sentença que apague as recordações dos oito anos em que foi acusado de um crime que jamais cometeu.

Um dos líderes do Movimento de Moradia do Centro (MMC), Gegê foi absolvido em um julgamento realizado nos dias 4 e 5 de abril, no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo.

Ele era acusado de ser mandante do assassinato de José Alberto dos Santos Pereira Mendes, morto em agosto de 2002 em um acampamento do MMC na capital paulista.

De 2002 até o dia de seu julgamento, Gegê foi preso, enfrentou rebeliões e chegou a ser considerado foragido da Justiça.

Para o militante, o período representou um corte em sua vida. "Foram oito anos sem ter o direito de viver", resume.

A sessão permaneceu lotada durante os dois dias de julgamento. Políticos e representantes de várias entidades prestavam solidariedade ao líder e denunciavam perseguição política contra Gegê e criminalização contra os movimentos sociais.

Gegê tem um longo histórico de militância social e sindical.

O militante participou da fundação do Partido dos Trabalhadores(PT), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de movimentos de moradia.

Além disso, integrou entidades como Unificação das Lutas de Cortiço (ULC), Movimento de Moradia do Centro (MMC), União dos Movimentos de Moradia, Fórum Nacional de Reforma Urbana e Central de Movimentos Populares (CMP).

Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, Gegê fala sobre a criminalização das lutas políticas e afirma que pretende processar o Estado.

"Não vou descansar enquanto o Estado não for para o banco dos réus", garante.

Brasil de Fato - Qual era sua expectativa em relação ao julgamento?

Gegê - Eu vou ser sincero, não tinha nenhuma esperança.

Eu não falava isso, mas minha esperança era a mínima possível, porque para mim a questão não estava em julgar o crime, por que quantos milhares de pais de família são assassinados todos os dias nessa cidade de São Paulo e são enterrados na vala do esquecimento?

Mataram alguém, tem um assassino, o sistema penitenciário sabe quem foi, sabe o nome, e não procurou.

Com isso posso dizer que eu sentia completamente vulnerável, exposto a sair dali com, no mínimo, 12 anos de prisão.

Era o mínimo que eu esperava.

O resultado te supreendeu então?

O resultado final não me surpreendeu na medida em que o júri foi acontecendo, os interrogatórios, e a discriminação foi vindo mais à tona.

"Eu discrimino porque você é um negro, pobre, um sujeito abusado na sociedade e ao mesmo eu criminalizo a sua luta política".

Foi caindo essa máscara, como um tabuleiro de xadrez em que você vai desmontando peça por peça, até chegar ao ponto em que um dos promotores mais duros da história recente do Brasil [Roberto Tardelli] ser obrigado a pedir minha absolvição.

Ele pediu porque se sentiu um homem impotente diante dos fatos e dos acontecimentos nesses dois dias [de julgamento], aquele plenário cheio o tempo todo.

Eles perceberam, ali, que estavam lidando com um movimento social, que não estavam julgando a pessoa do Gegê.

Como foi esse período de oito anos em que o processo se arrastou?

Foram oito anos sem ter o direito de viver, pagando por uma pena, julgado e condenado já.

Penalização total, sem emprego, sem vida familiar, sem vida pública, sem uma vida digna como qualquer cidadão tem direito.

Um dia eu estava aqui, no outro dia não sabia onde podia amanhecer.

Foram oito anos que, para mim, por conta de uma tragédia e de uma irresponsabilidade de um ser humano, eu fui acusado de um crime do qual jamais seria cúmplice.

E eu paguei por esses oito anos, e aliás eu continuo pagando. Mesmo no dia 5, sendo dito "você está livre", eu continuo pagando, e mais caro inclusive porque agora vem a censura,

"você não pode falar isso", "você não pode falar aquilo".

Terminou uma fase, um processo no dia 5, mas vem outra fase mais dura, que são as preocupações que eu vou ter na minha vida.

Eu vou ter que sair em busca de uma forma de sobrevivência.

Esses oito anos foram um corte total na minha vida.

Foram anos que me impediram de fazer o que eu queria, era um direito meu, viver minha vida.

E eu fiquei preso nesses oito anos.

Convivi com tentativas de fuga em DP, com três rebeliões.

Eu não posso esquecer essas coisas, e ninguém pode exigir isso de mim.

Por pior que tenham sido esses oito anos, tenho a obrigatoriedade de lembrá-los a cada segundo daqui pra frente.

Sua segurança também te preocupa daqui pra frente?

Eu estou inseguro, não nego para ninguém.

Eu continuo preso, em prisão domiciliar, que para mim é a pior prisão possível.

Eu estou livre, mas muito longe de ter liberdade.

Eu não sei a hora em que eu sair desta casa e puser o pé na rua o que estará por trás, nas minhas costas.

Quem fez o que fez para me obrigar a viver oito anos como eu vivi pode estar insatisfeito e dizer "agora sim eu posso tirar a vida dele".

Eu não tenho medo de nada, mas me preocupa a traição.

Essa insegurança para mim é muito forte.

Eu não tenho dinheiro para contratar segurança, e o Estado me negou esse direito.

Se o Estado tivesse me oferecido segurança,talvez hoje eu estivesse livre disso.

Em 2001, nós [do Movimento de Moradia do Centro] chegamos a pedir segurança para o Estado, procuramos a Secretaria de Justiça do Estado de São Paulo, por meio do [secretário] Saulo Ramos, e ele nos negou.

Eu tentei mostrar várias mensagens que eu tinha recebido, ameaças de morte gravadas, e ele não ouviu uma mensagem sequer.

Ele só disse que era impossível dar segurança para o Gegê ocupar prédios públicos.

Disse assim, ironicamente.

Eu não posso dizer hoje que estou livre dessa bala perdida e, por isso, não posso dizer que estou em liberdade.

Na tua avaliação, quem e que interesses estão por trás da tua perseguição?

Não sei.

Se eu soubesse, já teria resolvido esse caso.

Se eu sei que são algumas pessoas, eu vou direto até elas.

Mas o que eu posso dizer é que por trás de tudo isso está o Estado burguês em que eu vivo, que me perseguiu, me pondo na prisão domiciliar.

E por isso esse Estado não está livre de sofrer sanções.

Jamais perdoarei o Estado.

Você pretende processar o Estado?

Eu vou processar.

Vou ainda fazer uma reunião com meu advogado.

Quero processar o Estado por aquelas pessoas que tentaram me condenar e pôr essas pessoas na cadeia.

E não quero pouca coisa, quero arrancar o que eu puder do Estado porque não se paga oito anos como eu vivi e estou vivendo simplesmente com a palavra e um pedaço de papel dizendo que você está livre.

Quero dizer para o Estado "você está pagando pelo seu erro, pela sua incompetência".

Nunca se foi atrás da pessoa que cometeu o crime, nunca se soube quem foram as outras duas pessoas que entraram [no acampamento].

O Estado tinha a obrigação de procurá-los, mas não foi atrás porque não teve vontade.

Não foi feito um trabalho investigativo mínimo nesse processo.

O único trabalho foi o de me condenar.

Um investigador responsável pelo processo foi me procurar com a arma na mão, apontada para minha cabeça.

Não só eu, mas todos e todas que estavam em volta desse processo de transformação social saímos perdendo.

O mínimo que nós estivéssemos fazendo na cidade de São Paulo, ações, passeatas, atos públicos, as pequenas conquistas, era um avanço na luta de classes.

E esse Estado percebeu isso.

Teve uma vida, teve um criminoso, mas o que interessa é a criminalização dos movimentos sociais.

Não vou descansar enquanto o Estado não for para o banco dos réus.

Qual pode ser o significado da tua absolvição para a luta dos movimentos populares?

Isso mostrou que é preciso resistir.

Fomos absolvidos, mas não na totalidade.

Na noite de quarta (06) a gente reuniu o “Comitê Lutar Não é Crime” [comitê criado por entidades em São Paulo para combater a criminalização dos movimentos sociais] e reafirmou que o Comitê não vai fechar as portas.

Qual a situação dos movimentos de moradia hoje?

Hoje os movimentos de moradia comemoram porque tiveram uma reunião com o prefeito [Gilberto] Kassab.

Isso não é vitória.

Isso é uma conquista mínima, sentar com o poder público para discutir.

A conquista real será quando você não tiver sem-tetos nas ruas, drogados nas ruas, meninos e meninas de rua nos farois, meninas vendendo seu corpo para sobreviver.

Aí sim teremos uma vitória, vamos eliminar os males do sistema capitalista e estaremos na mesma frente pelo direito de viver com dignidade.

Mas os movimentos de moradia esqueceram essa política, é cada um para si. Enquanto isso, milhões de pessoas ficam jogadas nas ruas.

E qual deve ser o papel dos movimentos de moradia em relação aos megaprojetos para a realização da Copa do Mundo?

Os movimentos têm que ir para a rua mostrar os problemas vão ser gerados por conta dos megaeventos e dos megaprojetos.

As pessoas não sabem qual será o impacto ambiental da construção do estádio do Corinthians, em Itaquera [na zona leste de São Paulo].

O povo não sabe que não poderá chegar nem perto do estádio, vai ficar sabendo disso na hora H.

A lei de exceção vai ser imposta em cada estado, em cada hotel em que estiver uma delegação.

E será que, passou a Copa, essa lei de exceção não vai permanecer? O povo está ansioso para que chegue esse momento, mas mal sabe ele que os impactos são pesadíssimos, sem contar que está em jogo a nossa soberania.

Só na ditadura militar a gente vê isso.

A gente lutou tanto, morreu tanta gente para se pôr fim à lei de exceção e agora ela está aqui, de volta.

Vem aqui um Obama da vida e ninguém pode abrir uma faixa contra a presença dele que vai pra cadeia.

Quantos milhões vão ser gastos com a Copa aqui no Brasil?

Não vou ser contra a Copa, mas por que se gasta tanto dinheiro com a Copa e não se gasta com a miséria e a violência?

Dez por cento do que será gasto poderia ser aplicado no combate à violência contra a juventude, a mulher, o negro.

Para fazer um estádio para 65 mil pessoas, eles vão mexer com dezenas de milhares de famílias, e vão para onde essas famílias?

E aí vem o prefeito dizer que esse povo vai ser colocado na região central.

Vai poder onde?

Só se for na rua.

Mais mendigos morando embaixo das pontes e das marquises.

Prefeitura de São Paulo aumenta o número de Conselhos Tutelares na Cidade de 37 para 44 e ignora o direito da População de poder votar em até 5 candidatos .


Prefeitura aumenta o número de Conselhos Tutelares na Cidade de 37 para 44 mais não resolver o Problema de demanda na cidade .

Conselheiros avaliam que ampliação do número, de 37 para 44, representa avanço, mas quatro regiões da cidade com mais de 400 mil pessoas continuarão tendo apenas um conselho.

A Prefeitura Municipal decidiu ampliar a quantidade de conselhos tutelares em São Paulo, de 37 para 44.

O novo número, entretanto, não é suficiente para atender a recomendação do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), que prevê a existência de um conselho para cada grupo de 200 mil pessoas.

Com a decisão, a média da cidade, que é de um órgão para cada grupo de 304 mil habitantes, passará para um conselho tutelar a cada grupo de 255 mil moradores.

Divulgado na semana passada, o decreto, que cria os sete conselhos tutelares – Bela Vista, Brasilândia, Cangaíba, Grajaú II, Parque São Rafael, Pedreira e Rio Pequeno/Raposo Tavares –, visa também reorganizar a área de abrangência dos já implantados.

Mesmo após a reorganização e a instalação dos novos órgãos de defesa dos direitos da criança e do adolescente – o que deverá ocorrer após a eleição dos conselheiros tutelares de toda a cidade, marcada para julho –, quatro conselhos continuarão responsáveis por regiões com mais de 400 mil habitantes.

São os conselhos tutelares do Itaim Paulista e Vila Curuça (401 mil moradores), Pirituba (425 mil), Ipiranga (450 mil) e Campo Limpo (569 mil).

Para os conselheiros tutelares que atuam em subprefeituras onde será instalado outro conselho, o decreto da prefeitura representa a conquista de uma demanda da sociedade.

“É um avanço muito grande, pois atualmente não conseguimos atender todas as pessoas que nos procuram em função de violências, maus tratos e outros casos”, afirma o conselheiro tutelar da Cidade Ademar, Geraldo Henrique.

Com a criação do Conselho Tutelar da Pedreira, futuramente Henrique e os outros quatro conselheiros da Cidade Ademar irão atender apenas os moradores do distrito, o que representa redução de 414 mil para 273 mil habitantes em sua área de abrangência.

“Nosso ganho é que a região [que inclui os dois distritos] terá mais zeladores dos direitos da criança e do adolescente”, constata.

Ele considera, porém, que a criação dos novos conselhos precisa ser complementada com medidas destinadas a melhorar a estrutura de trabalho dos conselheiros.

“Os dois telefones celulares utilizados nos plantões têm mais de quatro anos de uso e estão quebrados”, exemplificou.

Segundo Henrique, que também é coordenador da Comissão de Políticas Públicas e Assistência Social dos Conselhos Tutelares da Cidade de São Paulo, outro problema que precisa ser equacionado e está sendo discutido pelos conselheiros é a dificuldade de encaminhamento de crianças e adolescentes para centros de referência e abrigos.

Comentário Blog Cobra Notícias:O Prefeito deu um verdadeiro passa moleque na sociedade civil e no cmdca ele acabou com o desejo da população de poder votar em até 5 candidatos pois Além do aspecto legal, o voto em até cinco candidatos não elimina a possibilidade do desejo de voto do eleitor em um, mas fortalece o conselho como órgão de atuação colegiada e não de encaminhamentos individualizados.

Em recente resolução, o CMDCA adotou o retorno do voto em até cinco concorrentes.

No entanto, o prefeito teria que alterar até 16 de abril – data limite de dois meses antes da eleição agendada para 16 de julho – o decreto de 2007 alterando esse procedimento.

Outro assunto que dominou a discussão foi a tentativa de implantar prova eliminatória aos candidatos.

No Conselho Municipal, que tem representantes em igual número de eleitos da sociedade civil e os indicados pelo poder público foi cogitada a aplicação de prova aos candidatos.

Essa alternativa sofreu contestação na audiência por ferir princípios constitucionais e por representar um cerceamento a vontade popular.

Reproduzo agora o edital do Conselho Tutelar com as Regras a serem seguidas até esse momento enviado por um leitor do Blog e meu Amigo Mané do Itaim Paulista .

((TITULO))PUBLICAÇÃO Nº 40/CMDCA/SP/2011


((TEXTO)) O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Paulo-CMDCA no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei 8.069/90- ECA torna publica a Resolução 99, aprovada em Reunião Ordinária do dia 15 de abril de 2011


RESOLUÇÃO 99/CMDCA/2011


EDITAL DO PROCESSO DE ELEIÇÃO DE 2011 E INSCRIÇÃO DE CANDIDATOS A CONSELHEIROS (AS) TUTELARES PARA A CIDADE DE SÃO PAULO A EXERCEREM O MANDATO DE 2011/2014.


O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE SÃO PAULO – CMDCA/SP, EM SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA DO DIA 15 DE ABRIL DE 2011, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, NOS TERMOS DAS LEIS Nº 8.069/90 - ECA, Nº 11.123/91, Nº 13.116/01 E DECRETOS Nº 31.319/92, Nº 31.986/92, Nº 40.779/01, Nº 40.996/01, Nº 44.728/04, Nº 45.513/04 Nº 48.580/07 e Nº 52.218/11 POR MAIORIA ABSOLUTA DE SEUS MEMBROS,


RESOLVE:


Art. 1º - Instituir a Comissão Eleitoral que coordenará o processo eletivo dos Conselheiros(as) Tutelares da Cidade de São Paulo, em conformidade com o artigo 7º do Decreto 31.986, de 30/7/92.


I. A Comissão Eleitoral será composta por:


§ 1º - 6 representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente:


a) José Armando Hussid - CMDCA;


b) Susana de Vasconcelos Dias - CMDCA;


c) Vitor Benez Pegler – CMDCA;


§ 2º - representantes da Sociedade Civil


a) Fernando Antonio dos Santos Junior - CMDCA


b) Luana Cunha Bhering – CMDCA


c) Solange Agda da Cruz de Paula Pinto


Art. 2º - Definir a competência da Comissão Eleitoral, de acordo com o art. 8º do Decreto 31.986, de 30/7/92:


I. Receber os pedidos de inscrição e credenciar os candidatos;


II. Organizar o processo eleitoral, conforme edital de convocação;


III. Aprovar o material necessário às eleições;


IV. Apreciar e julgar os recursos e impugnações;


V. Acompanhar o processo eleitoral em todas as suas etapas;


VI. Criar subcomissões eleitorais ,se necessário, para auxiliar no processo eleitoral, organizando e acompanhando a escolha nas 31 Subprefeituras onde estão instalados os Conselhos Tutelares, de acordo com o Decreto Municipal 40.996/01 e suas alterações , Decreto nº. 45.513/04 e Decreto nº 48.580/07.


Art. 3º - Designar a data de 17 de julho de 2011, para que se efetue a eleição dos Conselheiros Tutelares da Cidade de São Paulo, conforme Decreto 40.996, de 10/8/01 e suas alterações, do decreto nº. 45.513, de 23/11/04 e Decreto nº 48.580 de 02/08/07.


Parágrafo Primeiro: Os candidatos a Conselheiros Tutelares da Cidade de São Paulo devem ser escolhidos através do voto universal, direto, secreto e facultativo a todas as pessoas a partir de 16 (dezesseis) anos que tenham inscrição eleitoral correspondente as zonas eleitorais na Cidade de São Paulo.


Parágrafo Segundo:- Cada eleitor poderá votar uma única vez e em apenas 1(um) candidato.


Art. 4º - As inscrições dos candidatos (as) serão feitas pela Internet no endereço eletrônico www.prefeitura.sp.gov.br ou diretamente na sede do CMDCA, entre os dias 02/05/11 a 17/05/11, encerrando-se impreterivelmente nessa data as 16h00.


Parágrafo Único - Os documentos relacionados no artigo 5 deverão ser entregues entre os dias 18/05/11 a 06/06/11 na na sede do CMDCA, sito a Rua Libero Badaró, 119, 13 andar).


Art. 5º - São requisitos para inscrição e registro dos candidatos a membros dos Conselhos Tutelares:


I. ter reconhecida idoneidade moral, comprovada por:


a) atestado de antecedentes criminais expedidos pelas Polícias Estadual e Federal;


b) certidão dos Distribuidores Cíveis e Criminais da Justiça Estadual e Federal;


II. ter idade igual ou superior a 21 anos, comprovado por:


a) cédula de Identidade ou documento de identificação oficial com foto original e nº de RG do eleitor.


III. Ter residência na Cidade de São Paulo, comprovada por:


a) prova de residência, através de contas de energia elétrica ou de telefone ou de água ou correspondência pessoal ou comercial ou bancária, em nome do candidato, referente a um dos três meses anteriores à publicação do edital;


IV. ter domicílio eleitoral na Cidade de São Paulo;


V. estar em dia com os direitos políticos, comprovado por:


a) título de Eleitor original e comprovante de votação dos dois turnos da última eleição ou


b) comprovante oficial de justificativa ou


c) certidão de quitação com a justiça eleitoral.


VI. estar em dia com as obrigações do serviço militar,se do sexo masculino, comprovado com certificado de reservista;


VII. ter reconhecida experiência e compromisso na área de defesa ou atendimento aos diretos da criança e do adolescente, conforme previsto no inciso V, do artigo 13, da Lei Municipal 11.123/91, comprovado por:


a) curriculum vitae e;


b) declaração de prova de atuação profissional e experiência junto à área de defesa dos direitos e/ou atendimento à criança e ao adolescente emitida pelo Ministério Público ou pelo Juizado da Criança e do Adolescente ou por 01 entidade registrada no CMDCA/SP (cópia do registro com validade mínima de dois anos) ou por movimentos populares ou por instituições governamentais, sendo que os documentos de entidades registradas no CMDCA ou por movimentos populares, deverão estar acompanhados pela ata da reunião da Diretoria que o referendou.


Parágrafo Primeiro - Entende-se por movimento popular todas as organizações não constituídas juridicamente, que comprovem sua atuação na Cidade, conforme o § 1º, do artigo 1º do Decreto nº 44.728/04, devendo apresentar a seguinte documentação:


a) existência mínima de 02 (dois) anos, comprovada por manifestações públicas de seus representantes ou declaração de autoridades públicas ou reportagens que comprovem a atuação em defesa da causa, ou outros registros comprobatórios;


b) lista nominal, assinada e com número de documento de identidade de, pelo menos, 20 (vinte) integrantes do movimento, da qual conste também o nome de seus líderes, com os respectivos endereços.


Parágrafo Segundo - Para os Conselheiros (as) Tutelares em pleno exercício do mandato, que tenham interesse a reconducão de acordo com o artigo 132 da Lei n 8069/90- ECA deverão apresentar o respectivo Termo de Posse.


VIII - toda documentação mencionada nos incisos II, III, IV, V, VI,VII , Parágrafos Primeiro e Segundo, deverão ser apresentadas em cópia simples, acompanhadas dos originais, para simples conferência.


Art. 6º - São impedidos de servir no mesmo Conselho cônjuges e conviventes, ascendentes e descendentes, sogro e genro ou nora, irmãos, cunhados, durante o cunhado, tio, sobrinho, padrasto ou madrasta e enteado.


O impedimento de que trata este artigo estende-se em relação à autoridade judiciária e ao representante do Ministério Público e técnicos ligados ao Juizado da Infância e Juventude, em exercício na Comarca da Capital, bem como aos integrantes da comissão Eleitoral, nos termos do artigo 140 e parágrafo único do Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA.


Art. 7º - Os candidatos inscritos ao pleito eleitoral deverão participar de Seminário de Informação, a ser realizado em data a ser divulgada através do DOC e site oficial do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente/CMDCA, sob a responsabilidade das Subprefeituras e respectivas subcomissões eleitorais sob a coordenação do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente –CMDCA-SP.


Art. 8º - Estabelecer os seguintes prazos:


I – o período de inscrição será compreendido de 02/05/11 a 17/05/11, conforme art. 4º deste Edital;


II- Prazo de entrega da documentação para a Comissao eleitoral Central (na sede do CMDCA, 13 andar) de 18/05/11 a 06/06/11.


III-publicacao da relacao dos inscritos ate dia 09/06/11 (três dias úteis após encerramento da entrega dos documentos).


IV- interposição dos recursos de impugnação dos inscritos e do indeferimento da inscrição até 14/06/11 (3 dias úteis a contar da publicação da relação dos candidatos);


V- publicação do julgamento dos recursos até 23/06/11 (7 dias úteis após o decurso do prazo de recebimento desses recursos);


VI- interposição de recursos de defesa até 27/06/11 (2 dias úteis após a publicação do julgamento dos recursos);


VII- publicação do julgamento dos recursos de defesa até 30/06/11 (3 dias úteis após o decurso do prazo de recebimento dos recursos de defesa);


VIII- publicação da lista final dos candidatos aptos até 04/07/11 (3 dias úteis após a publicação do julgamento dos recursos de defesa ).


Art. 9º – Estabelecer os seguintes prazos e recursos após a eleição de 17 de julho de 2011:


I – publicação da lista dos eleitos até 19/07/2011 (2 dias após a apuração dos votos);


II - interposição dos recursos de impugnação dos eleitos, até 21/07/11 (2 dias uteis após a publicação da lista dos candidatos eleitos);


III- publicação do julgamento dos recursos até 25/07/11 (2 dias úteis após o decurso do prazo de recebimento desses recursos);


IV- interposição de recursos de defesa, até 27/07/11 (2 dias uteis após a publicação do julgamento dos recursos de impugnação);


V- publicação da lista final dos candidatos eleitos até 29/07/11 (2 dias uteis após o recebimento dos recursos de defesa).


Art. 10 – Os candidatos eleitos, deverão participar do processo de transição entre as gestões 2008/2011 e 2011/2014 no período de 01 de agosto de 2011 a 05 de agosto de 2011.


Art. 11 – Todas as publicações que alude neste Edital serão efetuadas no Diário Oficial da Cidade – DOC.


Art. 12 - A posse dos Conselheiros Tutelares eleitos, dar-se-á aos 08 de agosto de 2.011 em local a ser publicado em DOC


Art. 13 – Os conselheiros tutelares eleitos e empossados para o triênio 2011-2014, terão que cumprir a carga horária de todos os seminários inclusos no plano de formação continuada, deliberados pelo CMDCA.


PARÁGRAFO PRIMEIRO – A não participação implicará em procedimentos administrativos aprovados pelo CMDCA.


Art. 14 - Esta resolução entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Kassab e o total descaso e abandono dos Prédios e equipamentos Públicos da Prefeitura de São Paulo.

Que essa administração da Prefeitura de São Paulo não esta nem ai todo mundo já sabe,aja visto que a alguns dias atrás o Blog Cobra Noticias , trouxe uma matéria sobre o abandono de um prédio publico aqui no jardim Ângela Zona Leste de São Paulo em Sapopemba onde eles inauguraram um CREAS a poucos metros de outro CREAS onde já existia um equipamento que foi inaugurado em 2008 e que só funcionaram pouquíssimos dias, mais precisamente segundo denuncias dos freqüentadores e moradores do local pouco menos de um ano.

E com isso o local encontra-se em total abandono onde o mato esta alto e tomando de conta de todo o local, os banheiros que serviam para atendimento dos usuários do CREAS estão todos detonados e com as suas portas arrancadas, também estão sujos causando um mal estar aos freqüentadores do local,os lavatórios estão todos detonados ou seja o que sobrou dos banheiros esta um podridão só .

Acompanhe a matéria no Blog Cobra Noticias. http://cobranoticias.blogspot.com/2011/03/denuncia-creas-vila-prudente-localizado.html

Pois bem agora ai esta comprovado que o descaso do dinheiro público esta sendo jogado no ralo, pois o jornal agora trás uma matéria onde comprova o abandono dos equipamentos públicos.

Prédio da Prefeitura vira Cracolândia da Zona Leste

Matéria: Caio do Valle e Rivaldo Gomes do Jornal Agora

A insegurança aumentou no Jardim Iva, na região de Aricanduva (zona leste de SP).

Uma construção abandonada pela Prefeitura de São Paulo na Praça da esquina das ruas Altena e Miguel Bastos Soares tem atraído diversos usuários de drogas, criando uma nova cracolândia na cidade.

Moradores dizem que a presença de usuários de drogas também tem aumentado os furtos e os roubos.

O imóvel, de acordo com eles, originalmente seria utilizado como pista de bocha, mas, desde que foi concluído, há cerca de cinco anos, nunca foi aberto para este fim.

"Queremos que derrubem logo isto aqui, já que não está sendo usado para nada de bom", diz a advogada Rosa Eliziane Santos, 41 anos, que vive perto da construção que se transformou em ponto de consumo de crack e maconha.

Uma área ao lado do prédio é usada como banheiro pelos viciados, o que provoca um forte odor na região.

A reportagem esteve ontem no local e encontrou, em uma passagem ao lado do imóvel, diversos pinos vazios.

Um homem que afirmou viver na construção disse que eles são usados para armazenar drogas, entre elas, crack.

No interior do local, o teto, feito de metal, está todo queimado.

Também há colchões e muitas marcas de fogo no chão, além de pichações nas paredes.